(31) 99288-0771 / contato@gustavoporto.com.br

Agressividade

Por:Gustavo Porto
Artigos

20

abr 2017

É normal que as crianças pequenas batam e mordam. À medida que seu cérebro se desenvolve e sua capacidade motora aumenta, as crianças, naturalmente, expressarão raiva e agressividade através de seus comportamentos.

 

O desenvolvimento da agressividade na infância está associado a uma multiplicidade de fatores, tais como práticas parentais inadequadas e baixo status socioeconômico. Além disso, muitos fatores de origem neurológica, fisiológica e genética, que são associados ao desenvolvimento da agressão, podem ser remetidos à primeira infância, e até mesmo a períodos anteriores. Por exemplo, estresse da mãe e uso de tabaco durante a gravidez, e complicações médicas no momento do parto estão associados ao aumento do risco de comportamentos agressivos acima da média. Inúmeros estudos têm demonstrado também que a frequência de agressões físicas decresce da primeira infância até a vida adulta. O desenvolvimento da agressividade apresenta um pico entre 2 e 4 anos de idade; ao final da média infância, a maioria das crianças já aprendeu a controlar o uso da agressão física; e as meninas aprendem a utilizar alternativas à agressão física mais rapidamente do que os meninos. Aparentemente, portanto, os dois primeiros anos de vida são o melhor período para aprender alternativas à agressão física.

Quando as crianças começarem a bater, morder, empurrar ou estapear, os adultos devem:

  • reagir calmamente, mas expressar claramente sua desaprovação cada vez que esses comportamentos ocorrerem
  • ser cordiais e atenciosos e reforçar o bom comportamento
  • aplicar uma disciplina apropriada à idade da criança, que estimule o aprendizado (por exemplo, pedindo desculpas, reparando quaisquer danos que tenham sido causados)
  • ensinar às crianças como expressar raiva e frustração usando a linguagem
  • encorajar as crianças a ter um comportamento tranquilo (por exemplo, cooperar, negociar, ceder, reconciliar)

Com o apoio e a orientação dos pais e das pessoas que tomam conta delas, e através da interação com terceiros, as crianças aprenderão a NÃO usar agressões físicas e, ao contrário, valer-se de comportamentos socialmente mais aceitáveis.

Fonte: www.enciclopedia-crianca.com


Compartilhe: